quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Eu te amo ou sobre os clichês (Sou uma romântica incurável)

Acho que dessa vez veio para ficar
Podemos chamá-lo de passarinho verde, com aquele sorrisinho bobo o dia todo
Justo eu que coleciono sentimentos fracassados 
encontrei um amor recíproco, 
forte
único, exclusivo

Procurei errado e contentei-me com o pouco que achava que merecia
Procurei no bares, na faculdade, na rua
vendo o pôr do sol
em amigos de amigos de amigos
em todos os lugares que pareciam possibilidades
fiz tudo pra que desse certo
pra que os relacionamentos funcionassem
Total devoção e dedicação
pra que pudesse ouvir alguém dizer que me amava e eu tivesse a chance de retribuir com sinceridade

Mas nunca acontecia, cheguei a achar que havia algo de errado comigo
e eu procurei e procurei e procurei...
Ferida pelo caminho conquistei algumas cicatrizes
boas histórias
e outras nem tão boas assim
mas não o amor
e nunca encontrei-o quando a intenção era essa

Esbarrei com o sentimento em um dia desses,
num desses dias que você sai de casa sentindo medo, insegurança, mas cheia de vontade de viver
Completamente inesperado
falando com um menino que eu pensei ser somente mais um amigo, um novo amigo
Ao contrário do que eu esperava
ele gostou de mim também


A gente foi se curtindo sem saber...

E foi 
foi numa segunda-feira despretensiosa que eu esbarrei com o amor
e o universo quis nos aproximar

Foi numa noite de quinta que eu entendi que estava amando
que nem todas as nossas vontades dependem de esforço
pra que sejam atingidas
às vezes, tudo que precisamos
é dar tempo ao tempo

Até um dizer o eu te amo um pro outro
e as declarações mais sinceras possíveis saírem naturalmente
muitas vezes nos momentos em que eu menos esperava

Hoje

Eu já não procuro mais.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Eu fiquei feliz cedo demais
Fui precipitada
Declarei encerrado o livro do passado
Cedo demais
Pensei ter sorte
E com descuido esqueci-me que sou uma azarada
E 2018 mostrou-me que a felicidade é efêmera

Hoje doi .

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Primeiro que você não é nem gente
É anjo

M♥

Eu nunca fui muito consistente ao tentar explicar o amor, isso deve-se pelo fato de nem eu mesma conseguir entender. Eu andei com raiva do amor, e até incrédula, mas o amor é malandro e sabe que nesse jogo comigo sempre ganha. E sempre que desacreditada de sua existência ele aparecia, maquiado de criança doce, vestido de amigo preocupado, fantasiado de mãe carinhosa, escondido num corpo gordo de gato ronronando no meu ouvido. E eu, que sou assim de fácil convencimento, não poderia ignorar sua presença. Hoje eu apenas aceito.







"Que a minha loucura seja perdoada
Pois metade de mim é amor
E a outra metade também" ♪

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Medo
Medo de mim, de você
Medo de errar, de não saber o que fazer
Medo de não gostar, de gostar, de me arrepender
Medos grandes, paralizantes
Medos bobos
Medo de nem eu sei o quê

Mas, "de todos os infindáveis abraços nus o teu então eu anseiava em silêncio", mesmo com medo eu fui.

Ainda bem.








"Primeiro é o beijo
Quente, procurado
A língua procurando a outra
E vendo se a boca combina
Se combina o beijo
Meio caminho andado
Depois é a pele
Se a textura vale
O pêlo com pêlo
Ou o pêlo com o seu pêlo
Ou os pêlos com meu pêlo
Ou o medo
Depois o cheiro
Um procura no outro
Cheiro de colônia ou
Cheiro de prazer
E os dois se embriagam
Ou vão até o banheiro
Depois a cor
O amor tem cor?
Cada amor tem uma cor
Cada beijo tem uma cor
Cor de caramelo doce
Cor de madrugada fria"
Eu me despedi de você duas vezes no mesmo dia, logo eu que odeio despedidas.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Eu sou uma luta contra o tempo, e odeio quando ele se arrasta nos minutos finais antes do final de semana, ou quando ele escorre por entre meus dedos nos momentos de alegria.
Hoje foi assim. 
Um festival de sinais fechados e horas de trânsito separavam nós dois.
Mas não posso culpar somente o tempo. Culpo também o medo, irmão do tempo. E juntos me abraçaram tão forte que estava sem ar.
Mas quando estou com você somos uma canção do Caetano e não há tempo e medo que separe a gente, até a hora em que a vida cobra da gente e a despedida é inevitável, e eu vou mesmo querendo ficar. 


A gente se deu tão bem
Que o tempo sentiu inveja
Ele ficou zangado e decidiu
Que era melhor ser mais veloz
E passar rápido pra mim 


🎵





P.S. Nosso primeiro toque.
(e segundo, e terceiro...)